Liturgia – 24º Domingo Comum

Categoria (Artigos, Liturgia Diária) por Alexandre em 09/14/2018

“SE ALGUÉM QUER SEGUIR-ME TOME A SUA CRUZ E SIGA-ME!”

1.Acolhida:
Seguir a Cristo é um sério desafio para um mundo que gosta de aparências e não aprecia valores morais e espirituais. Para seguir Jesus Cristo é preciso descobri-lo como o valor maior de nossa vida e quem o descobre, vende todos os seus bens e compra o valor descoberto! Quem é Jesus Cristo para você, para mim? Eita pergunta danada, incomoda, mas necessária!
Quando Jesus Cristo falou da cruz, muitos julgaram a Palavra dura demais e deixaram de segui-lo! Mas Ele é o Caminho, o único caminho que leva para o céu!

2.Palavra de Deus:
Is 50,5-9ª – Quem seria o “Servo de Javé”, atento, fiel e resistente no cumprimento da missão que lhe fora confiada? Certamente, é Jesus Cristo, o Messias enviado para nos salvar, mas pode ser qualquer um de nós, eu mesmo ou você! Servos fiéis e intransigentes no cumprimento da missão recebida de anunciar Jesus Cristo ao Povo de Deus!

Tg 214-18 – A fé não sobrevive sem as boas obras! Crer em Jesus significa viver com e como Jesus, especialmente, em favor dos pobres, da viúva e do menor abandonado! Ser cristão não é um título honorífico, mas um jeito de viver!

Mc 8,27-35 – São Pedro confessa que Jesus é o “Santo de Deus” e que tem Palavras de vida eterna, mas para ser seu discípulo é necessário tomar a própria cruz todos os dias e segui-lo! Crer é seguir Jesus Cristo como discípulo, colocando os próprios pés nas pegadas de Jesus nos caminhos da vida cotidiana!

3.Reflexão:
O profeta Isaias descreve as características do “Servo de Javé”: atento, com língua solta para transmitir, com fidelidade, a vontade de Deus para o seu Povo. Resiste a qualquer pressão que o induza a trair a mensagem! Esse discípulo é, com certeza, Jesus, mas pode ser qualquer um de nós, considerados discípulos de Jesus!

O Apóstolo Pedro, provocado por Jesus, confessa sua divindade – “Tu és o Santo de Deus” – mas não conseguiu tirar as conseqüências de sua confissão – “Seguir Jesus como discípulo humilde e carregar própria cruz! “Para traz de Mim, satanás, pois não tens em mente as coisas de Deus, e sim as dos homens”!” Vivemos tempos de misericórdia, mas esquecemos da obrigação de carregar a própria cruz! E um Cristianismo sem cruz, não é um Cristianismo verdadeiro! Pode ser o cristianismo dos poderosos que tem cheiro de inferno e não de paraíso!

O Filho do Homem será entregue aos anciãos (latifundiários), aos Sumos Sacerdotes (donos do poder político e religioso), aos Doutores da Lei (donos da verdade!). Foi morto pelas classes dirigentes! E Pedro não aceita a morte para o seu Mestre!  Jesus – o “Servo de Javé” – aceita qualquer sofrimento ou humilhação para cumprir a sua Missão. Deus escolheu o caminho da cruz para salvar o mundo! Não quis saber o “por que”; simplesmente carregou a sua Cruz até o fim. É um mistério insondável, uma prova do amor divino pela criatura humana e isso é suficiente para Ele!

O mundo de hoje quer um Cristianismo sem Cruz e sem obras! Cristianismo não é uma filosofia de vida, mas um estilo de vida, e crê em Jesus, quem pratica as boas obras: “Religião pura e sem mancha diante de Deus Pai é esta: Assistir aos órfãos e às viúvas em suas dificuldades e guardar-se livre da corrupção do mundo!”. O Cristianismo de Jesus não é brinquedo de criança! É vida séria e comprometida com o “Projeto de Jesus”.  Não basta crer; é preciso viver.

Frei Carlos Zagonel

Deixe sua resposta

Você deve estar logado para enviar seu comentário.