LITURGIA – 5º DOMINGO DA QUARESMA – 13.03.2016

Categoria (Artigos, Liturgia Diária) por Alexandre em 03/09/2016

Tags :

LITURGIA – 5º DOMINGO DA QUARESMA – 13.03.2016
“Convertei-vos a Mim, pois sou bom e compassivo!”
1.ACOLHIDA
Celebrar a Eucaristia dominical significa aceitar o convite da conversão, de voltar com alegria para o caminho do bem. Jesus quer para nós um caminho de paz e de amizade com Deus. Ele nos quer santos.
Deixar os caminhos do pecado, normalmente, é doloroso, mas o caminho da conversão é um caminho de luz. É experimentar a leveza do perdão divino. A mulher adúltera do Evangelho provou a ternura de Jesus e de sua paz

2.PALAVRA DE DEUS.
Is 43,16-21 – Deus operou maravilhas retirando o Povo de Israel do Egito, mas fará maravilhas ainda maiores, agora, retirando-o da Babilônia. Deus vai libertar o seu Povo a qualquer preço!
Fl 3,8-14 – Paulo era um perseguidor raivoso, mas Jesus mudou seu coração, fazendo dele um grande Apóstolo. Ele experimentou a força de Jesus Cristo a ponto de preferir perder tudo – bens materiais, carreira, boa fama – para segui-lo no caminho do sofrimento.
Jo 8,1-11 – Os fariseus e os mestres da Lei armam intrigas contra Jesus, mas Ele revela a Nova Lei do Perdão. A Lei de Jesus ensina primeiro, julgar a si mesmo; o julgamento é um atributo de Deus. À criatura humana cabe verificar humildemente o próprio interior.

3.Reflexão
O Povo de Israel foi libertado por Deus, foi retirado do Egito e, agora, será retirado da Babilônia, mas agora Ele fará milagres ainda maiores para novamente liberta o Povo que Ele escolheu para si mesmo. Hoje, o Povo querido de Deus somos nós e nossa libertação não virá dos poderosos, mas do próprio Deus: “Não lembreis coisas passadas (…). Eu farei coisas novas para salvar o meu Povo!” Que não fará o nosso Deus, hoje, para salvar-nos? Certamente, coisas maravilhosas!
Paulo ama de paixão a Jesus Cristo. Foi conquistado por Ele a ponto de perder tudo, inclusive, sua própria honra de brilhante e promissor chefe fariseu. O Papa Bento XVI afirma que o amor a Jesus não nasce da leitura de um livro ou de qualquer evento religioso, mas do toque do Espírito Santo: “Ninguém vem a mim se o Pai não o atrair”!
Paulo foi derrubado do cavalo e se reerguei transformado em grande Apóstolo. Ninguém ama Jesus por decisão pessoal, mas por ação do Espírito Santo. Mandai sobre nós, Senhor, a força d vosso Espírito Santo.
Os fariseus e os doutores da Lei, presumidos santos, querem a condenação da mulher apanhada em adultério, esquecendo que a Lei de Moisés mandava castigar os adúlteros, o homem e a mulher! (Dt 22,22 – Lv20,10). Jesus não nega a gravidade do pecado, mas o julgamento deve iniciar em si mesmo: “Quem dentre vos não tiver pecado, seja o primeiro a atirar uma pedra… um a um, todos foram saindo a começar pelos mais velhos!” A Nova Lei do Perdão começa pelo julgamento de si mesmo! Oh! Sabedoria do Evangelho de Jesus! Eis o caminho seguro para viver o Ano Santo da Misericórdia!
Quanto à mulher, Jesus a perdoou, mas recomendou-lhe que não votasse a pecar: “Eu também não te condeno. Pode ir e, de agora em diante, não peques mais.”
“Este Povo Eu o criei para mim e ele cantará meus louvores!”
Frei Carlos  Zagonel.
Fonte: http://www.paroquiansacoxipo.com.br/conteudo.php?sid=44&cid=3734

Deixe sua resposta

Você deve estar logado para enviar seu comentário.