Saiba mais!

Categoria (Formação) por Pastoral Comunicação em 04/14/2011

Tags : ,

Celebrações da Semana Santa

Domingo de Ramos: o Domingo de Ramos marca o início da Semana Santa, neste dia celebramos a entrada de Jesus em Jerusalém, montado em um jumentinho Ele foi aclamado pelo povo que trazia ramos, daí o nome domingo de ramos.  “A numerosa multidão estendeu suas vestes pelo caminho, enquanto outros cortavam ramos das árvores, e os espalhavam pelo caminho”, Mt 21, 8.

Quinta-feira Santa: neste dia, pela manhã, o bispo abençoa os óleos do crisma, dos enfermos e dos catecúmenos, estes óleos serão usados durante todo o ano.

Óleo do Crisma – É usado no sacramento da Confirmação (Crisma) e também no sacramento da Ordem.

Óleo dos Catecúmenos – Catecúmenos são os que se preparam para receber o Batismo, sejam adultos ou crianças, antes do rito da água.

Óleo dos Enfermos – É usado no sacramento da Unção dos enfermos.

Ainda na quinta-feira Santa, celebra-se a Missa da Ceia do Senhor, também conhecida como Missa do lava-pés, pois na véspera de sua Morte Jesus lavou os pés dos discípulos, “Jesus, sabendo que o Pai tinha colocado tudo em suas mãos e que de Deus tinha saído e para Deus voltava, levantou-se da mesa, tirou o manto, pegou uma toalha e amarrou-a na cintura. Derramou água numa bacia e começou a lavar os pés dos discípulos, enxugando-os com a toalha com que estava cingido”, Jo 13, 3-5. Esta celebração marca a instituição da Eucaristia e do Sacerdócio. “Na noite em que foi entregue, o Senhor Jesus tomou o pão e, depois de dar graças, partiu-o e disse: ‘Isto é o meu corpo que é dado por vós. Fazei isto em minha memória’. Do mesmo modo, depois da ceia, tomou também o cálice e disse: ‘Este cálice é a nova aliança, em meu sangue. Todas as vezes que dele beberdes, fazei isto em minha memória’”, 1Cor 11, 23-25.

Sexta-feira da Paixão: neste dia não se celebra a Missa, pois não há a consagração do pão e do vinho, a Eucaristia que é distribuída foi consagrada na Missa do dia anterior. Neste dia também fazemos a adoração da Santa Cruz, adorar o sacrifício de Jesus ao se entregar à morte de cruz para nos salvar.

Sábado Santo: é a Missa da Vigília Pascal, também conhecida como Sábado de Aleluia, antecede as comemorações do domingo de Páscoa, da Ressurreição de Jesus. Durante o dia, a Igreja permanece meditando a Paixão e esperando a Ressurreição.

Depois do anoitecer, a Vigília Pascal inicia com a Liturgia da Luz, que começa com as luzes da igreja apagadas e a reunião dos fiéis. Abençoa-se o fogo, símbolo do esplendor do Ressuscitado. Prepara-se o círio pascal, vela em que o celebrante marca uma cruz e as letras Alfa e Ômega, que representam Cristo, Princípio e Fim de tudo e de todos. Entre os braços da cruz está o ano em curso. O círio é usado em todo o Tempo Pascal, permanecendo na igreja, e durante todo o ano em batismos, crismas e funerais, lembrando a todos que Cristo é a luz do mundo.

A vela é acesa e segue o antigo rito do Lucernário. Um sacerdote ou diácono carrega o círio pela igreja escura, parando três vezes e aclamando: “eis a luz de Cristo”, e a assembleia responde “Demos graças a Deus”. A vela prossegue pela igreja e todos acendem velas menores pelo Círio Pascal , representando a “Luz de Cristo” se espalhando por todos. A escuridão diminui. Depois de colocada em destaque, a vela é incensada e entoa-se solenemente o canto Exulted, de tradição milenar. A Igreja pede que as forças do céu exultem a vitória de Cristo sobre a morte.

Apagam-se as velas e inicia-se a Liturgia da Palavra, composta de sete leituras do Antigo Testamento, que são como um resumo de toda a História da Salvação.Cada leitura é seguida por um salmo e uma oração. Depois de concluir estas leituras, é entoado solenemente o “Glória a Deus nas alturas”. Os sinos, sinetas e campainhas da igreja devem ser tocados. É a primeira vez que se entoa o “Glória” desde a Quarta-feira de Cinzas, com exceção da Quinta-feira Santa. Lê-se um texto da Epístola aos Romanos e o Salmo 118.

O “Aleluia” é cantado também de forma muito solene, pois não se entoava desde o início da Quaresma. Na Liturgia Batismal, a água da pia batismal é solenemente abençoada e pode-se haver batizados neste momentos. Depois, todos renovam os seus votos batismais e recebem a aspersão da água. A oração dos fiéis se segue e a Liturgia Eucarística continua como de costume. Esta é a primeira Missa do dia da Páscoa.

Deixe sua resposta

Você deve estar logado para enviar seu comentário.