Solenidade da Epifania do Senhor

Categoria (Artigos) por Pastoral Comunicação em 01/02/2011

Tags :

“Vimos sua estrela no Oriente e viemos adorá-lo”.

  “Epifania” significa revelação, manifestação: Jesus foi manifestado aos pagãos como Salvador. Os Reis do Oriente vieram para adorá-lo como Salvador! É a “Festa do Natal” para nós que não somos judeus de origem, mas gentios convidados a participar da graça divina. Hoje, nós fazemos parte do Povo de Deus.

Os Reis Magos encontraram um “Menino pobre, reclinado sobre palhas”; mas eles o adoraram como Salvador. Deram-lhe preciosos  e significativos presentes: ouro, incenso e mirra! Qual seria nossa atitude diante de um “Deus-Menino” pobre e reclinado sobre palhas? Como é que Deus se apresenta a nós nos dias de hoje e qual é nossa atitude diante dos desafios de nosso Deus?

“As nações de toda a terra hão de adorar-vos, ó Senhor!” (Sl 71). Cumpramos nossa parte nesta adoração. Vamos adorar nosso Deus nas suas manifestações cotidianas que desafiam nossa fé, do mesmo modo em que os Reis Magos foram desafiados na “Festa da Epifania” em Belém.

 Palavra de Deus:

Is 60,1-6 – O profeta reanima o Povo de Israel para reconstruir o templo e acolher o “resto do Povo  que retorna do exílio. Jerusalém será como uma luz mostrando o caminho da salvação a todos os povos, inclusive, aos pagãos! Deus sempre ilumina o caminho para a volta! Deus é um caminho de luz!

Ef 3,2-3.5-6 – Todos são destinatários da luz divina, inclusive, os pagãos. Este mistério causa surpresa até para o Apóstolo Paulo.  “Os pagãos são admitidos à mesma herança, são membros do mesmo corpo, são associados à mesma promessa em Jesus Cristo” (Ef  3,6). Essa “Boa Notícia” é para nós que não somos judeus de origem. Nós somos convidados a ingressar na Família de Deus!

Mat 2,1-12 –  O Evangelho de Mateus recorda nossa responsabilidade de evangelizar e de conquistar todos os povos para Jesus Cristo ressuscitado. A “Festa dos Reis magos” recorda-nos esta missão. Observemos como os sacerdotes conheciam “onde deveria nascer o Messias”, mas sua fé não os levou para lá a fim de adorá-lo. Seria medo de Herodes ou falta de fé verdadeira?

 Reflexão:

à Renovemos, hoje, nossa alegria natalina, pois, hoje foi-nos manifestado o nosso Salvador; foi-nos revelado o segredo, guardado há muitos séculos: Nós também somos Povo de Deus em Jesus Cristo! Celebremos com renovada alegria o nosso Natal! Alegremo-nos, pois, somos Povo de Deus, somos filhos de Deus e seus herdeiros em Jesus Cristo.

à Esta é nossa missão: recordar ao mundo de hoje, aos nossos vizinhos e conhecidos, que somos objeto do amor divino. Nós, também, somos filhos e herdeiros de Deus em Jesus Cristo. Talvez isso não diga grande coisa aos homens de hoje! Não tem importância; que eles vejam nossa alegria por sermos filhos e herdeiros de Deus em Jesus Cristo!

à Como os sacerdotes e doutores da Lei, nós, também, podemos saber muito a respeito de Jesus, mas não o adoramos como o adoraram os “Reis Magos”! Confesse, hoje, sua fé em Jesus Cristo, nosso Deus e Salvador, e diga ao mundo inteiro que Jesus é nosso Salvador, nossa esperança no meio do mundo coberto de trevas e nuvens escuras (Is 60,2).

à Os Reis Magos voltaram contentes para suas terras anunciando a chegada da salvação; voltemos para o meio de nossa comunidade e digamos que Jesus chegou e chegou como nosso Salvador!

Equipe litúrgica da Capela São Benedito.

Deixe sua resposta

Você deve estar logado para enviar seu comentário.