DÍZIMO E OFERTA É A MESMA COISA?

Categoria (Artigos) por WebMaster em 05/29/2010

Tags :

Dízimo ou Oferta?

Dízimo ou Oferta?

Não, embora tenham a mesma finalidade. O Dízimo é uma contribuição regular – quase sempre mensal, – assumida como compromisso com a comunidade e motivada pela gratidão que temos para com Deus. As Ofertas são contribuições espontâneas, oferecidas como algo além do Dízimo, costumeiramente entregue no momento do ofertório, durante a celebração eucarística.

“Faze todas as tuas oferendas com um semblante alegre, consagra os dízimos com alegria” – Eclo 35,11

Verificamos que na Bíblia Sagrada Deus nos pede o Dízimo e a Oferta. “Pagai integralmente os dízimos à casa do Senhor” (Mal 3:10). Dizei ao povo de Israel que me façam uma oferta, diz o Senhor”(Êx 25:2).

Existe uma grande diferença entre Dízimo e Oferta, embora ambos sejam frutos de nossa fé, do nosso reconhecimento, da nossa generosidade, de nosso coração.

Dízimo: é devolver a Deus, com fidelidade, uma parte de tudo aquilo que Ele próprio nos dá, como primícias da nossa renda. Quer dizer que toda vez que Deus nos dá, nós separamos “as primícias”, a parte consagrada a Ele, e fazemos a devolução. Se a nossa renda é a colheita, nós daremos o nosso Dízimo quando realizarmos a nossa colheita no campo. Se a nossa renda é o nosso salário, devolvemos nosso Dízimo como primeiro gesto de gratidão a Deus, logo que recebemos o nosso salário. Se a nossa renda for fruto da venda de algum bem, daremos o Dízimo da nossa renda ao receber o que ganhamos com a venda daquele bem.

A Oferta é livre, não tem momento certo, depende da necessidade de quem solicita e da disponibilidade de quem oferece. O Dízimo tem um destino certo: a Igreja de Jesus Cristo, de acordo com um plano pastoral que abrange as dimensões: religiosa, social e missionária. Este plano tem continuidade, não pode sofrer interrupções, por isso deve contar com recursos regulares. É o Dízimo que deve sustentar o plano pastoral da Igreja para a realização da obra de Deus.

As ofertas se destinam geralmente para a realização de obras complementares, ou para socorrer alguma emergência pessoal ou comunitária, ou ainda, ajudar o plano pastoral da Igreja, mas como acréscimo ao Dízimo, que constitui a pastoral de sustentação da vida paroquial.

Coordenação Arquidiocesana

fonte: http://www.arquidiocesecuiaba.org.br/pastoraldizimo/?p=332

Deixe sua resposta

Você deve estar logado para enviar seu comentário.